RFID e alguns de seus vários casos de uso

0
542

Atualmente, a tecnologia de RFID (identificação por radiofrequência) vem sendo utilizada em diferentes setores econômicos. Casos de uso são mencionados, por exemplo, nos setores de manufatura, aeroespacial e aviação, petróleo, gás e utilities, logística, transporte, varejo, saúde, governo, cultura, esporte e entretenimento, entre outros.

Entre as aplicações clássicas de RFID, destacam-se a gestão da cadeia de suprimentos, os controles de acesso estoque, embarque e desembarque de mercadorias, a gestão de frota, o rastreamento fim-a-fim de ativos e a garantia da qualidade.

As perguntas que tradicionalmente RFID ajuda a responder têm a ver com os atributos do item que está sendo identificado (o quê?) e a sua localização (onde?). Em uma abordagem ampliada, em que RFID trabalha como um sensor, pode fornecer dados e informações, também, sobre as condições em que o item se encontra.

A tecnologia de RFID é versátil. As primeiras etiquetas surgiram para monitorar os itens mais óbvios: chaves, animais e ativos que precisavam de descarte especial. Os casos de uso, no entanto, foram se multiplicando com o tempo, à medida que a tecnologia evoluía, trazendo alternativas para consumo de energia e armazenagem de dados, redução do tamanho das etiquetas e o seu uso com uma variedade maior de materiais.

RFID tem lugar no seu negócio? Seja lá qual for o seu negócio, a resposta provavelmente é sim. Hoje, as etiquetas de RFID pipocam por todos os lados. Mas a chegada da Internet das Coisas acena com um boom importante da sua adoção, que será em geral combinada com outras tecnologias.

A seguir, mencionam-se alguns casos de uso de RFID registrados na literatura.

Cultura, entretenimento, esportes

Controle de acesso – RFID fornece uma solução inteligente para controle de acesso. A Disney usou a tecnologia em seus ingressos para os parques temáticos. Além de controlar a entrada nos parques, os ingressos habilitados por RFID são uma fonte rica de informações sobre a movimentação das pessoas.

Controle de chegada – cartões de identidade (RG e crachás) habilitados com chip de RFID podem ser utilizados para controlar a chegada do seu portador a um evento em que é aguardado. O nome do convidado, junto com o horário em que chegou e outras informações de interesse podem ser mostradas, por exemplo, em um display.

Solução antifurto – Em um cassino, um furto de US$ 1,5 milhão foi evitado pelo uso de RFID. A solução instalada também permite que a casa de jogo saiba quanto e como cada cliente gasta o seu dinheiro.

Guia de museu – Quando o display de uma da pinturas do museu é tocado por um visitante, o sistema de RFID recupera as informações armazenadas sobre a obra de arte. O visitante passa, então, a ouvir um áudio contendo essas informações.

Localização de itens – Localizar itens é um dos grandes benefícios oferecidos pela tecnologia RFID. Incluir etiqueta de RFID em bolas de golfe pode contribuir para encontrá-las facilmente, após uma tacada, digamos assim, fora dos limites esperados.

Automação de biblioteca – Na biblioteca habilitada por RFID, o processo de empréstimo de livros é automatizado, com a solução monitorando o seu movimento de entrada e saída e fornecendo alertas para os bibliotecários nos casos de retirada sem a devida autorização. Com apoio de um leitor portátil, também é possível achar livros perdidos pelas prateleiras.

Sistema de monitoramento de eventos esportivos – Cada jogador recebe uma etiqueta de RFID. O nome daquele que cruzar a linha de chegada em primeiro lugar será mostrado em um display. A solução pode ser de grande valia, por exemplo, em uma prova de corrida, nos casos em que fica difícil para o juiz decidir quem foi o vencedor.

Segurança

Controle de uso – A fabricante Armatix já comercializa armas e munições habilitadas por RFID. A tecnologia garante que a arma só dispare quando acionada pelo próprio dono.

Controle de acesso – Em um sistema seguro de acesso, quando um cartão de permissão de entrada em uma área protegida é apresentado, os dados do cartão são enviados para o leitor de RFID, conectado a um microcontrolador. Se os dados do cartão de entrada coincidirem com aqueles armazenados no banco de dados do microcontrolador, a pessoa terá acesso à área protegida. A permissão concedida pode, por exemplo, ser indicada por uma lâmpada que se acende. O status de autoridade da pessoa também pode ser exibido em um display conectado ao microcontrolador.

Controle de acesso: passaporte com chip de RFID – O passaporte possui uma etiqueta RFID a qual se encontra ligada informações sobre nome, número, nacionalidade, etc. do portador.  Ao aproximar o passaporte do leitor de RFID, as informações relacionadas com a etiqueta são resgatadas e comparadas com aquelas disponíveis em uma base de dados, permitindo as verificações necessárias e, como resultado, confirmando ou não a sua permissão de acesso.

Sistema antirroubo de veículos – Com RFID, é possível verificar se a pessoa que colocou um veículo em movimento tem as autorizações necessárias para fazê-lo. Caso não tenha, os circuitos de controle do veículo (ignição, combustível, etc.) integrados com etiquetas ativas de RFID param o carro lentamente, minutos após ter sido posto em movimento.

Transporte e gestão de frota

Entrega descomplicada de veículo – RFID é um ótimo complemento para GPS em muitas aplicações de gestão de frota. Etiquetas de RFID passivas são utilizadas para rastrear áreas circunscritas, enquanto sistemas de GPS proveem uma solução de monitoramento de veículo em locais abertos e grandes distâncias.  A Avis Rent a Car combinou ambas as tecnologias, empregando RFID para monitorar os carros deixados no seu pátio interno, após o período de aluguel. Os clientes estacionam em qualquer vaga disponível no pátio e vão embora, sem precisar aguardar pelo atendimento da equipe da empresa.

Estacionamento de veículos – A tecnologia RFID é usada em estacionamento para controle de entrada e saída de veículos. Os motoristas têm acesso ao estacionamento quando o seu cartão de crédito com chip de RFID é apresentado na entrada. O valor do serviço é debitado e um display próximo ao local indica a quantidade de vagas disponível. Algumas soluções mais avançadas são capazes de mostrar, também, através de um mapa ou sinal iluminado, a localização das vagas disponíveis.

Aquisição de passagens de trem – Os passageiros recebem etiquetas de RFID, em que devem incluir informações sobre origem e destino da viagem. O sistema calcula o valor a ser pago, apresentando a informação em um display. Após o pagamento, o passageiro apresenta a sua etiqueta de RFID ao leitor, que registra nela o número do bilhete. Quando entra no trem portando a sua etiqueta de RFID, o leitor lê a etiqueta verificando se os dados estão corretos. Um alerta é fornecido pelo sistema, no caso de desavença de informação.

Automação de bomba de combustível – Cada veículo é equipado com um cartão pré-pago. Ao chegar no local de abastecimento, o leitor de RFID lê o cartão. A bomba de combustível opera somente nos casos em que o cartão é válido e, antes de iniciar a operação de abastecimento, um display informa o saldo disponível no cartão. O usuário, então, define a quantidade de combustível desejada. O sistema verifica se a quantidade não excede o saldo disponível. Após abastecer o veículo, a informação sobre o novo saldo é enviada para o fone móvel do usuário através de rede GSM.

Saúde e tecnologia assistiva

Controle da higiene – A área da saúde traz muitas oportunidades para RFID, incluindo, entre elas, gestão de medicamentos, otimização do fluxo de tráfego em hospitais e monitoração de equipamentos sofisticados. A startup IntelligentM teve, no entanto, outra ideia para emprego de RFID na saúde: desenvolveu uma solução para assegurar que os profissionais lavem as mãos antes de realizar procedimentos. A tecnologia é simples: os profissionais da saúde usam uma pulseira com etiqueta de RFID; as pias são equipadas com leitores de RFID.

Monitoramento do paciente – Ao entrar em um hospital em busca de tratamento, um paciente recebe uma etiqueta de RFID.  Todos os dados e informações a ele referentes e ao seu tratamento são armazenados em uma base centralizada de dados que pode ser recuperada facilmente. RFID também pode funcionar como sensor de temperatura e batimento cardíaco para pacientes que necessitam de cuidados especiais, fora do hospital. Quando os valores monitorados encontram-se fora dos limites esperados, uma mensagem é enviada através de GSM/GPS para um parente e para o hospital mais próximo.

Cobranças e arrecadação

Automação do processo de cobrança de pedágio – O leitor de RFID posicionado nos postos de pedágio lê as etiquetas dos veículos que passam pelo local. Após consulta a uma base de dados, se tudo estiver ok, o sistema libera a catraca para o veículo passar, atribuindo o valor de pedágio à conta do proprietário do veículo.  A automação de cobrança de pedágio reduz o uso de recursos humanos, melhora a segurança e evita engarrafamento nos postos de pedágio.

Varejo

Controle de estoque – A Smart Shelf é uma solução da HP que utiliza RFID em gabinetes contendo cartuchos para impressora, instalados em varejistas e prestadores de serviços de impressão. Os cartuchos da HP já saem da fábrica portando uma etiqueta de RFID. Um leitor de RFID permite identificar os cartuchos que são armazenados no gabinete.  A solução permite o controle automático dos diferentes tipos e atributos de cartuchos contidos na smart shelf, facilitando abastecimento dos itens faltantes no ponto de venda e garantindo a autenticidade dos produtos comercializados. As smart shelfs são controladas em tempo real por uma plataforma de BI (business inteligence). O acesso ao programa ocorre de modo remoto pelo sistema de comunicação 3G disponível em cada smart shelf.

Provador inteligente – Roupas, sapatos e acessórios da loja recebem etiquetas de RFID. Um banco de dados é criado, contendo informações relevantes sobre os produtos e recomendações de uso. O provedor inteligente, com apoio de um leitor de RFID, identifica as roupas e acessórios trazidos pelo cliente para o local. Através de um display, o cliente recebe dados diversos sobre o item de interesse, consegue pesquisar por alternativas similares e pode, inclusive, deixar o seu feedback. Com o provedor inteligente, os varejistas aumentam as chances de seus clientes descobrirem o que estão buscando. Também conseguem reunir insights sobre o produto de interesse e, de carona, ganham uma tecnologia confiável contra furtos.

Governo e serviços públicos

Sistema de votação – Um cartão de RFID é empregado na identificação do eleitor, antes que possa acessar a urna para manifestar o seu voto. O sistema permite identificar casos irregulares, tais como a tentativa de votar mais de uma vez ou de votar em nome de outra pessoa.

Controle de estoque –O Corpo de Bombeiros da cidade de Decatur, na Georgia, EUA, usa RFID para auxiliar no inventário dos equipamentos utilizados em um atendimento de emergência. Os equipamentos são cadastrados antes de receber uma etiqueta de RFID.  Quando um membro da equipe retira um dado equipamento do estoque, este é associado pelo sistema à sua identidade. Essas informações são armazenadas, gerando um histórico atualizado da localização e do estado de conservação dos equipamentos e das pessoas que os utilizaram. O sistema permite a realização de várias análises, incluindo taxa de utilização, quantidades no estoque, tempo de uso de cada equipamento, etc. Na frota de veículos do Corpo de Bombeiros, o inventário dos equipamentos trazidos a bordo é realizado por um leitor de RFID que utiliza a tecnologia Bluetooth para enviar as informações sobre os itens disponíveis no local para um smartphone.

Glossário

RFID (Identificação por Radiofrequência) é uma tecnologia que utiliza campos eletromagnéticos de radiofrequência para transferir informações de uma etiqueta para um leitor de RFID, para fins de identificação e localização de um dado item (pessoa, objeto, planta, animal). Algumas etiquetas têm sua própria fonte de alimentação. Outras não requerem bateria. Derivam energia do campo eletromagnético gerado a partir do leitor. As etiquetas de RFID também podem ser utilizadas como sensor (RFID as a sensor), fornecendo dados e informações sobre as condições do item identificado.

RFID é parte do conjunto de tecnologias conhecidas como AIDC – Automatic  Identification and Data Capture e é um meio rápido e confiável de identificar um dado objeto.

- Publicidade -
Innovation Hunter

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.